Favelas são usadas como currais eleitorais

Exército em favela carioca

Exército em favela carioca

Hoje tropas militares ocuparam favelas do Rio para garantir a tranqüilidade do processo eleitoral dentro destes currais eleitorais do tráfico de drogas e das milícias. Se pararmos para pensar, isto é um absurdo, chegamos ao ponto de ter que haver uma intervenção para que pessoas não tenham o seu direito de voto coagido. É por isso que um processo de desfavelização se faz necessário. A desfavelização do Rio é urgente. Por conta destes currais eleitorais é que muitos não querem que uma cidade sem favelas. Mas isto vai contra ao que o Rio precisa, vai contra os interesses econômicos, sociais e turísticos de nossa cidade. A desfavelização é o caminho para a libertação do Rio.

 

 

Leiam a notícia abaixo:

 

 

O presidente em exercício do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio, desembargador Alberto Motta Moraes, considerou satisfatório o balanço do primeiro dia da Operação Guanabara, que terminou sem confrontos ou apreensões na cidade. As Forças Armadas começaram nesta quinta-feira a ocupar as localidades escolhidas pelo tribunal para garantir a segurança das eleições no Rio. Cerca de 3.500 militares do Exército e da Marinha, além de policiais militares, participam da operação. O desembargador destacou, no entanto, que quem deve garantir a segurança é o próprio eleitor, recorrendo à premissa de que o voto é secreto.

– Ele ainda não entendeu que o voto dele é absolutamente secreto. Quem tem a segurança é o próprio eleitor. Ele é o maior depositário da própria segurança do voto dele. É só ele saber votar e manter-se calado – afirmou Moraes.

O presidente em exercício do TRE-RJ reconheceu que, quando as tropas saírem das comunidades, os bandidos poderão voltar a atuar. Mas deixou claro que, se houver necessidade, “o eleitor pode ter certeza de que as Forças Armadas retornarão”.

– Isso é o mínimo que se pode fazer para ofertar uma segurança relativa à população desses locais – disse.

O porta-voz do Comando Militar do Leste, André Luis Novaes, aproveitou para reiterar que, apesar da orientação do TRE para que os candidatos visitem as comunidades apenas entre 12h e 18h, as tropas estarão prestando segurança 24 horas por dia.

– Essas determinações são do tribunal, mas a nós cabe garantir a paz nas comunidades ocupadas ao longo de todo o dia e noite. Seja eleitor, candidato ou imprensa, quem quiser pode comparecer às comunidades, pois estaremos lá o tempo todo.

O governador do Rio, Sérgio Cabral, demonstrou otimismo com a chegada das tropas, e disse esperar que as Forças Armadas continuem atuando na cidade mesmo após as eleições.

– Eu espero que tenha êxito essas forças federais, que elas possam contribuir para o processo das eleições e, quem sabe, até nos entusiasme e continuem aqui nos ajudando a combater a violência.

Ao lado do chefe de comando do Exército, general Enzo Martins Peri, Alberto Motta Moraes e o juiz coordenador da propaganda eleitoral no estado, Luiz Márcio Pereira, acompanharam o início da operação na comunidade Rio das Pedras, em Jacarepaguá.

No início desta manhã, batedores interromperam o trânsito na Avenida Edgar Werneck, em Jacarepaguá, para a chegada de tropas. Cerca de oito carros levavam um grande contingente da brigada de pára-quedistas, sediados no quartel de Deodoro. Por volta das 8h, os militares do Exército chegaram na favela Cidade de Deus, na Zona Oeste, com um ônibus, dois tanques blindados, dez carros e motocicletas. Pela manhã, fizeram um trabalho de reconhecimento com mapas na favela.

 

Leia matéria na íntegra

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: