Cabral afirma que política de enfrentamento irá continuar

Como se não bastasse a morte do ambulante, na noite de ontem, dois policiais militares foram executados esta manhã, na Fonte da Saudade, na Lagoa. Segundo informações do site Globo Online, os policiais foram fuzilados por ocupantes de um Honda. À tarde, um veículo do 6º BPM (Tijuca) que fazia patrulhamento próximo ao morro do Turano foi atacado por motoqueiros na Rua Barão de Itapagipe, na Tijuca, Zona Norte. Segundo os policiais, quatro homens que estavam em duas motos passaram ao lado do veículo e um deles atirou. Um dos tiros atingiu o carro, mas ninguém se feriu.

Carro da PM lvejado por bandidos na Lagoa

Carro da PM lvejado por bandidos na Lagoa

Dois policiais militares morreram, de cor chumbo, na Lagoa, Zona Sul do Rio, na manhã desta quinta-feira. Dois homens com fuzis desceram do veículo e atiraram contra os policiais, que estavam na patrulha 543322, parados em frente ao número 197 da Rua Fonte da SaudadeOs policiais não revidaram e os agressores acabaram fugindo. O caso foi registrado na 18ª DP (Praça da Bandeira).
No episódio na Lagoa, pelo menos 18 tiros atingiram o carro onde estavam os policiais. Após os disparos, os criminosos entraram no Honda e fugiram em direção ao Humaitá. A polícia vai requisitar as imagens das câmeras do edifício em frente à cena do crime. O objetivo é identificar os bandidos que mataram os PMs. A placa do veículo já teria sido identificada.

O sargento Joel de Almeida Gomes e o cabo Francisco Alves Pereira Júnior estavam lotados há mais de cinco anos no batalhão do Leblon e já haviam sido homenageados por um desembargador que mora no prédio em frente ao local onde morreram.

Diante de tanta violência, o governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, se pronuncia e afirma que a política de enfrentamento e confrontos irá continuar. Ainda segundo informações do site Globo Online, No mesmo dia em que um homem morreu e uma criança ficou ferida durante um tiroteio, na Cruzada de São Sebastião , no Leblon, e dois policiais militares foram fuzilados na Lagoa , ambos bairros da Zona Sul do Rio, o governador volta a dizer  que a política de segurança não vai mudar.

– Esses episódios mostram que criminalidade do Rio é algo absolutamente grave, e que temos que enfrentar e vamos continuar enfrentando. Essa é nossa política. Não tem recuo na política de combate à criminalidade. Desde o início eu não tinha ilusão. Eu sabia e sei que o trabalho é duro, mas a nossa política de segurança não é atirar, nossa política de segurança é combater o crime. Agora, não podemos aceitar que um marginal atire num policial e que a nossa polícia não reaja – disse o governador.

O que o governador tem que refletir é que além do combate à criminalidade, precisamos ainda é de um projeto que não seja essa política de enxugar o gelo. Precisamos da desfavelização do Rio de Janeiro. Somente a desfavelização poderá mudar para sempre o cenário sombrio que nossa cidade vive nestes tempos de violência.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: