Jogo de empurra não resolverá a questão da desfavelização

Postei abaixo um editorial do Jornal do Brasil de 29 de abril de 2003. Ele expressa a vontade do carioca de se ver livre das favelas. Os favelados também gostariam de morar em bairros onde prevalece a lei do Estado. Neste editorial podemos ver claramente que a desfavelização não se fará com o antigo dilema que traduzia falta de vontade política. O carioca está cansado deste jogo de empurra. Segue:

Começo de Conversa

Os problemas relacionados com a expansão das favelas no Rio não são exclusivamente sociais, topográficos ou econômicos. Cada um desses aspectos teve a sua contribuição histórica, da qual a face mais visível diz respeito à segurança que é hoje a grande preocupação da sociedade.

Não é por acaso que o problema da segurança sobrepôs-se aos demais aspectos que focalizam o Rio pela urbanização descontrolada e agravada pela incapacidade municipal de exercer qualquer controle sobre o processo ininterrupto de crescimento das favelas.

A displicência administrativa não atentou para a montagem de um sistema de controle da favelização dos morros mas não dispensa o poder público de resolver a questão.

Por mais complexa que tenha ficado a solução, a desfavelização desse espaço retirado da administração pública terá de ser enfrentado como prioridade para se resolver a segurança.

A desfavelização não se fará com o antigo dilema que traduzia falta de vontade política: nem remover, nem apostar em projetos habitacionais, mas implantar o poder público com prioridade.

Saneamento, educação e transporte têm conteúdo social, econômico e urbanístico mais rápido do que retórica ou ocupação pela gente fardada da PM. O caos urbano é filho da negligência que até hoje empurrou o problema com a barriga.

A ocupação policial das favelas pode ser um primeiro passo. Mas a solução definitiva é a desfavelização, por meio de políticas públicas e presença do Estado.

2 Respostas to “Jogo de empurra não resolverá a questão da desfavelização”

  1. Antônio Silva Says:

    Não é possível resolver o grave problema da violência urbana e iniciar a recuperação do Rio para a Copa de 2014 sem desfavelizar a cidade. Existem mais de 400 favelas no Rio. Não há dinheiro para desfavelizar todas elas ao mesmo tempo. Que critérios adotar? POr onde começar?

  2. desfavelizacao Says:

    Caro Antônio,

    A desfavelização é interromper os processos que levaram à favelização. Como? É preciso desenvolver soluções para proporcionar habitação digna, propriedade, mobilidade social, transporte inteligente, segurança pública, recuperação ambiental recuperação estética, inclusão total, aquecimento da economia, geração de renda, desenvolvimento econômico.

    Propondo que habitação e transporte fossem prioridades no orçamento público para que investimentos nessas áreas pudessem movimentar o mercado de habitação para baixíssima renda e provocar uma revolução no sistema de transportes municipal aumentando a mobilidade e o tempo de deslocamento das pessoas pela cidade.

    Considerando o grande número de favelas concentradas na cidade e suas inúmeras especificidades a melhor forma de abordar a questão é pelo agrupamento em grandes grupos de semelhanças. 1-Quanto ao relevo;
    2-Quanto ao meio ambiente; 3-Quanto ao risco; 4-Quanto ao interesse econômico; 5-Quanto ao interesse estratégico.

    Para maiores esclarecimentos faça contato através do endereço eletrônico: desfavelizacao@gmail.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: