O dia em que a terra veio abaixo

Deslizamento do Túnel Rebouças
Hoje estava indo em direção à Zona Sul e ao passar por baixo do Túnel Rebouças, lembrei do dia 17 de abril do ano passado, quando as chuvas fizeram a terra descer. Não sei qual foi o carioca que não ficou parado no trânsito. Foi por sorte, muita sorte, que uma tragédia maior não aconteceu. Mais de cinco mil toneladas de terra poderia ter caído em cima dos motoristas. Acima do maior túnel da América latina está a comunidade Cerro-Corá. Em entrevista ao site G1, no dia 27 de outubro do ano passado, o prefeito do Rio Cesar Maia atribuiu o desabamento a uma tubulação de água rompida na comunidade. Veja um trecho da entrevista do G1:

 O prefeito Cesar Maia disse que o caso está sendo investigado: “Temos que buscar as razões do desabamento. Estamos trabalhando lá em cima, perto do Cerro-Corá, com grupo de homens em cima de uma tubulação. Essa tubulação rompeu. Mesmo antes da chuva já vieram alguns deslizamentos. Temos que analisar direito se essa tubulação está na causa ou não esta na causa dos deslizamentos posteriores”.

 Sendo isto a causa do deslizamento ou não, é inadmissível a permanência de favelas em cima dos túneis do Rio de Janeiro. Estas construções não foram feitas como base para a moradia irregular de centenas de pessoas. Cabe ao Estado fazer o primeiro movimento no sentido de reverter os mecanismos que levaram à favelização do Rio.

 É preciso criar condições e ambientes favoráveis para o investimento pesado em habitação popular e transporte de massa. Será prioridade: Moradores em áreas de risco, áreas ambientais com alta restrição ao uso e áreas estratégicas, como entorno de túneis, proximidade de grandes artérias viárias, estações de ônibus, de trens e aeroportos serão prioridade. E ainda: as conquistas dos moradores devem ser respeitadas como proximidade do local antes ocupado, transporte rápido e barato;  proximidade de centros empregadores e de lazer; além da manutenção dos vínculos afetivos. Só assim vamos construir um projeto de recuperação de longo prazo.

 

O Rio de Janeiro precisa do processo de desfavelização para não enfrentar no futuro dias mais trágicos que este quando a terra desceu.  

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: